CSP-MG e FenaPrevi realizam Encontro com tema Seguro de Vida Universal

Publicado em 29 de junho de 2017

Foto 1
O mercado mineiro compareceu em peso ao 4º Encontro do Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG), realizado no dia 28 de junho, no Automóvel Clube, em Belo Horizonte. Atraídos pelo tema do evento – Seguro de Vida Universal, corretores e seguradores ouviram atentamente o presidente da Comissão de Produtos de Risco da FenaPrevi, Patrick Paiva, discorrer sobre o assunto.
Em sua palestra, o executivo mostrou a experiência do Vida Universal em outros países e descreveu as principais características do novo produto, que combina investimento com o seguro de vida tradicional. “O Vida Universal atende a dois requisitos em um só produto: proteção e investimentos. É resgatável e estabelece a formação de reserva ao longo do tempo, permitindo flexibilidade para customização da cobertura e dos prêmios. Os planos são adequados às necessidades de cada cliente nas diferentes fases da sua vida”, explica.
Considerado um produto capaz de alavancar o mercado de seguros de pessoas no Brasil, vem sendo aguardado com grande expectativa. Entretanto, o Vida Universal tem gerado polêmica quanto à taxa de carregamento. A proposta inicial, ainda em discussão, limita o carregamento total, para todas as despesas, a 5% sobre a parcela do prêmio destinada à Provisão Matemática de Benefícios a Conceder (PMBaC) e 10% sobre a parcela do prêmio de risco.
Para o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, essa exigência praticamente inviabiliza a comercialização do produto pelo corretor e pela maioria das companhias. “É uma modalidade de seguro complexa que exige muita especialização, portanto, investimentos constantes em capacitação e tecnologia tanto da parte dos corretores quanto das seguradoras. Esse nível remuneração definitivamente não vai atrair os corretores e limitará até mesmo as seguradoras dispostas a operar o produto”, afirma o dirigente.
O presidente da Comissão de Produtos de Risco da FenaPrevi concorda e ressalta que a instituição está buscando junto à Susep a alteração dessa medida. “Já sugerimos ao órgão regulador, inclusive por meio da consulta pública, a mudança desse ponto, que afeta diretamente a forma de remuneração dos corretores e as margens das seguradoras.  O sucesso do produto depende muito do modelo de distribuição e o corretor é o principal canal”, salienta.
Após a apresentação, o palestrante e os representantes do CSP-MG, Sincor-MG e Sindseg MG/GO/MT/DF fizeram um debate e responderam às perguntas do público.
Nesse mesmo evento, o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, deu boas-vindas a três novas beneméritas do Clube que se juntam à instituição “na missão de fomentar o crescimento do mercado de seguros de pessoas”.
Para acessar o conteúdo da palestra, clique aqui. Veja também todas as fotos do evento.
Por: Déborah Gurgel – Assessora de Imprensa
Foto 2
Foto 3
4º ENCONTRO CSP

Receba as novidades do CSP MG por e-mail