Microsseguros: entrevista com Eugênio Velasques

Publicado em 6 de outubro de 2011


up_7571O diretor executivo da companhia Bradesco Vida e Previdência, Eugênio Velasques, esteve
em Belo Horizonte no dia 27 de setembro a convite do CSP-MG para participar do
evento que debateu o tema: “Microsseguros – a hora e a vez do Brasil”.
Na ocasião, Velasques, que também preside a Comissão de Microsseguros e Seguros Populares da CNSeg, concedeu entrevista ao site do CSP-MG.
Confira:
 
CSP-MGA Superintendência de Seguros Privados
(Susep) expediu a Portaria 4.206/11 constituindo grupo de trabalho, do qual o
senhor faz parte, com a finalidade de elaborar uma proposta normativa que
estabeleça regras especiais para o desenvolvimento dos microsseguros no Brasil.
É possível que ainda este ano tenhamos uma proposta de regulamentação?

 
Eugênio Velasques – Com a disposição do Dr. Luciano Portal (superintendente da Susep), de sua
equipe e do grupo recém-criado, acredito que nos próximos seis meses já teremos
um instrumento infralegal para acelerar o processo de regulação do
microsseguro.
 
CSP-MG – Além da regulamentação, existem outros
entraves para a implantação dos microsseguros no Brasil?

 
Eugênio Velasques – Depois da regulamentação, vem uma fase natural que é de adaptação. Será o
momento das pessoas começarem a romper com os seus paradigmas. Isso se refere às
próprias seguradoras e também aos corretores de seguros. Teremos que nos
adaptar a um ambiente regulatório novo, a um mercado totalmente diferente daquele
que estamos acostumados até os dias de hoje. Para mim, esse é o principal
desafio.
 
CSP-MGComo deve ser a atuação do corretor de
seguros neste novo cenário?

 
Eugênio Velasques – Eu costumo dizer que o corretor terá oportunidades únicas neste segmento. Alguns
já estão até se antecipando ao novo cenário, como é o caso de um corretor de
São Paulo que está montando uma rede de distribuição utilizando bancas de
revista e jornais. Outro no Rio de Janeiro está investindo na formação de uma
equipe própria de vendas para atuar na comunidade do Morro Santa Marta. Ao
longo da história, o corretor foi o elemento que sempre levou novidades para
dentro das seguradoras. Creio que agora não será diferente. Os corretores vão
colocar a criatividade para funcionar e construir soluções inovadoras para esse
novo ambiente de mercado.
 
CSP-MGQual será o impacto do microsseguro no mercado
segurador nos próximos anos?

 
Eugênio Velasques – Segundo os professores Lauro Gonzales e Marcelo Neri, da Fundação Getúlio
Vargas (FGV), no ambiente regulatório do microsseguro entrarão 100 milhões de
possíveis compradores, o que impactará positivamente o mercado nos próximos 20
anos. A previsão é que a participação do setor no Produto Interno Bruto (PIB)
mais que dobre, saindo dos atuais 3,5% para 7,5% até 2017.
 

Receba as novidades do CSP MG por e-mail